sábado, 16 de dezembro de 2017

Afinal...



Só queria que o seu olhar lhe transmitisse o amor que ansiava. Só desejava que as suas mãos lhe tocassem, trazendo o calor e a ternura como sempre imaginava ser quando a olhava. Só pensava que o seu olhar não devia ser dúvida permanente no que sentia, antes o seu abraço infinito, um aconchegar de alegria mútua no desejo de se amarem. Afinal, só queria ser amada como todos desejam, com ternura, com prazer, com loucura e alegria, como um amor se deve viver. No entanto via-se na escuridão, nesse lugar onde não existe definição, a esperança escasseia, o relógio não respeita a biologia e o seu amor tarda em se declarar.

dc



Afinal, como simples mortal, queria ser escolha no encanto, nesse dia-a-dia que fazem os amantes, nesse gostar fundo a todo o instante.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Simplesmente dançava



Cabeça levantada, olhos brilhando, sorriso iluminando o rosto, Pisava com leveza o soalho, obedecendo ao correr da partitura, O som comandava dando voz ao seu corpo que se movia voluptuoso. Maneava a anca, agitava o abdómen em requebros, rodopiava, ondulava dos pés à cabeça e da cabeça aos pés, os braços se moviam fazendo arabescos cortando o ar, sem perder o controlo do par. Respirava sensualidade e prazer no que fazia, despojada de racionalidade, vivendo os sentidos, acorrentada ao viver do momento, simplesmente, dançava.


dc

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Eu amo-te




Comecei o dia ver um vídeo, de um psicólogo brasileiro, em que o individuo dizia, que as pessoas temiam dizer: “eu te amo”, e que ao não fazê-lo perdiam uma oportunidade única das suas vidas.
Eu não fui educado a dizer eu amo-te, talvez por ser de outra geração, usávamos mais o “eu gosto de ti” ou, “gosto muito de ti”, a palavra eu amo-te, era mais utilizada entre casais apaixonados, e quase sempre, mais na intimidade. Não sei se era bom ou mau que fosse assim. Na verdade, na minha opinião, quando se utiliza com vulgaridade a palavra “eu te amo” ou “amor”, sinto que ela perde a força e o valor que ela tinha, quando usada somente com um número restrito de pessoas, que efectivamente mereciam essa diferenciação. A palavra amor tem uma conotação forte com a permanência desse sentimento em nós e nos outros, mesmo quando ele sofre desencantos. Importante, não é propriamente descobrir essa diferença, entre usarmos um modo ou outro, mas sim que nos habituemos a dizer às pessoas, o que sentimos, sem receios. Se as amamos ou gostamos delas, não devemos adiar expressar esse sentimento pelo outro, Não só porque é importante para nós, mas muito mais para o outro que se empolga, se alegra e se sente feliz, comprometido com esse amor.

dc
 

domingo, 26 de novembro de 2017

Já cuidei da flor



Já cuidei da flor
Já a reguei
Já a cheirei
Já me animou
Já me alegrou

Se ao tempo
Não resistiu
Não foi o amor
Que lhe faltou
Foi a natureza
Que não a poupou

dc